10 anos de dança e encanto

Quarta-Feira, 30 de Março - Desde 2006 o projeto Ballet Cultura encanta e emociona jovens, adultos, idosos e até o olhar dos pequenos que ficam maravilhados diante de tamanha beleza e sincronia. Nesses 10 anos de história quem está à frente desse projeto é a talentosa bailarina e professora Andrea Ianetta Hradec que, em entrevista a nossa equipe, conta como tudo começou. "A Iniciativa veio através da Diretora Betina Ehlert, que em 2006 dirigia a CEI Rosa Borck. Fui convidada para dar aulas de Ballet na creche e foi um sucesso, fizemos até uma apresentação no encerramento do mesmo ano na festa da escola. Agradeço eternamente a Betina, que até hoje me apoia e incentiva", agradece.

Andrea conta que após o ponta pé inicial veio a ideia de levar o projeto para outras escolas do município. "Escrevi o Projeto Ballet Cultura e apresentei em janeiro de 2007 para a D. Neuzi Schotten e ao Sr. Aristeu Klein, responsáveis pela Educação e Cultura na época. Em fevereiro iniciamos as atividades contando com 82 alunos. Encerramos aquele ano com o espetáculo ‘A magia do Natal'', com casa lotada no Clube Pomerode".

O número de alunos e escolas que aderiram ao projeto foi aumentando e, com isso, vários talentos foram surgindo até que em 2009, por iniciativa da professora Andrea, nasce o Corpo de Baile Municipal de Pomerode com 18 bailarinas. "Ao surgir o Corpo de Baile, o Dr. Paulo Pizzolatti, na época prefeito da cidade, encantou-se com as bailarinas e nos incentivou a participar do nosso primeiro Festival de Dança , que aconteceu no Carlos Gomes em novembro de 2010, onde fomos com apenas uma coreografia ‘A Ucrânia'' , e conquistamos o primeiro lugar. Após essa premiação, e muito incentivo da prefeitura, fomos para muitos outros festivais. O grupo cresceu a cada ano conquistando mais espaço no mundo da dança", fala.

Outra grande conquista do projeto se deu no final de 2011 quando o grupo foi presenteado com a sala de Ballet, na Fundação Cultural. "Passamos a ter barra e espelho. O grupo se fortaleceu ainda mais, porque até então os ensaios e as aulas aconteciam no Clube Pomerode e, como não tinha barra, usávamos cadeiras", explica a professora.

No decorrer dos anos o projeto passou por diversas dificuldades, mas com a força de vontade tudo foi superado. "As dificuldades iniciais eram a falta de um espaço físico apropriado para a dança, o que foi solucionado.Posteriormente veio a dificuldade financeira para viagens onde participamos de festivais".

Uma trajetória de sucesso. Essa frase define os 10 anos do Corpo de Ballet Municipal de Pomerode. Desde o primeiro festival em que participaram no ano de 2010, 151 troféus foram conquistados. Entre eles, três premiaram como melhor grupo, um de melhor coreografa e outro de bailarino revelação.

Sobre os projetos e sonho para o futuro Andrea não esconde o desejo de ver o grupo cada vez mais longe, conquistando cada vez mais seu espaço, inovando e trazendo novidades sempre. "Meu sonho é remontar o ballet de repertório ‘O Quebra Nozes''. Era o meu objetivo para esse ano, na apresentação em comemoração aos dez anos, porém remontar um ballet deste porte necessita de muito apoio financeiro, e na minha opinião, se é para fazer tem que fazer bem feito. Como não temos o dinheiro para um ballet de repertório, criamos o tema de espetáculo ‘Desenho Animado'', o qual também garanto que vai fazer sucesso a quem nos prestigiar. E sobre o maior sonho, acredito que todos os bailarinos sonham em dançar cada vez mais longe, e quem sabe um dia chegar na dançar em um YAGP em NY", conta.

Atualmente o projeto Ballet Cultura conta com 200 alunos praticantes e 22 bailarinos no Corpo de Baile Municipal. Tudo isso foi conquistado passo a passo, com o esforço de muita gente. E a professora, bailarina e coordenadora dos dois projetos faz questão de agradecer a todos que não mediram esforços para que tudo acontecesse. "Agradeço a todos que estiveram ao meu lado, apoiando e incentivando este meu ‘vício'' que é o Ballet. Primeiro a minha mãe Cecilia Ianetta Hradec, que acreditou na minha loucura de montar um Corpo de Baile, me ajuda até hoje na montagem dos figurinos e me atura quando estou pilhada e estressada com a correria pré-espetáculo. Agradeço aos meus bailarinos que acreditam no meu trabalho e aceitam as correções impostas nas aulas. Esses bailarinos são o meu dia a dia, a minha vida e a minha maior paixão. Também tenho que agradecer aos pais de bailarinos, que levam seus filhos aos ensaios, que apoiam o Projeto e que lutam juntos nos momentos que mais precisamos de apoio. E deixo claro que o Projeto Ballet Cultura trouxe para a minha vida mais do que bailarinos. Ao longo desses anos ganhei muitos amigos, pessoas que fizeram parte do ballet e que não são mais bailarinos mas que continuaram grandes amigos e outros que estão no projeto e formamos uma grande família. E obrigado a Pomerode, por abraçar uma nova forma de cultura, quem diria que chegaríamos a dez anos de Ballet em Pomerode", finaliza.

O pequeno Bailarino

Fransuê tem nove anos, pratica Ballet desde os cinco e é o único bailarino que integra o Corpo de Baile Municipal
O Corpo de Baile Municipal é composto atualmente por 21 bailarinas e por um bailarino que, no ano passado, ganhou o troféu de Bailarino destaque do Festival de Santo Ângelo, no Rio Grande do Sul.

Fransuê Kauã tem nove anos de idade, está há cinco anos no projeto Ballet Cultura e há pouco mais de um ano passou a integrar o Corpo de Baile Municipal. Com apenas quatro anos de idade começou no Ballet e de lá pra cá o talento e a paixão só aumentaram.

Entre as maiores conquistas do jovem bailarino está o prêmio de bailarino destaque do 9º Santo Ângelo em Dança onde o Corpo de Baile de Pomerode foi premiado 18 vezes sendo considerado o melhor grupo do festival. "Meus melhores momentos foram as premiações que tivemos nos festivais e, principalmente, a premiação de bailarino destaque no festival de Santo Ângelo que me resultou em uma proposta de bolsa na cidade de São Paulo", conta.

Sobre o seu maior sonho, Fransuê quer seguir a carreira artística e um dia ser muito famoso. E tem todo esse apoio de sua mãe que lhe acompanha e está pronta para sempre o ajudar. "Eu, como mãe e fã, tenho muito orgulho do meu filho, pois quando eu o vejo dançando me surpreendo cada vez mais. Mesmo tento uma rotina de ensaios que, às vezes, chegam a ser várias horas, ele é um excelente aluno, suas notas sempre são boas. Ele é o único menino no Corpo de Baile, tenho um orgulho enorme dele, mas ele é alvo de muito preconceito, as pessoas não comentam na nossa frente, mas por trás, só que isso não o atinge, muito menos nós que sempre o apoiamos", finaliza.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Fonte: Jornal de Pomerode

Página Inicial

Nossa Pomerode

Agenda Completa

Notícias

Vídeos

Rota Gastrônomica

Aventuras Radicais

Festas Municipais

Hotelaria

Contato

É SÓ CURTIR

Curta a gente nas redes sociais e fique por dentro das novidades.

Todos direitos reservados a Pomerode Online

Desenvolvido por D.M System & Design